Santa-mariense é a segunda mulher no Estado nomeada coronel da Brigada Militar

3283

Bianca Garcia Burger, 53 anos, conquistou cargo mais alto na corporação

Diário de Santa Maria

O ano de 2018 foi de conquistas para as mulheres da Brigada Militar (BM). O Rio Grande do Sul tem duas coronéis. Ambas conquistaram a nomeação para o mais alto posto da corporação recentemente. A nomeação mais recente foi de uma santa-mariense. Bianca Garcia Burger, 53 anos, teve a promoção publicada no Diário Oficial do Estado no dia 21 de dezembro.

A primeira mulher a ascender a coronel foi Ana Maria Hass, de Novo Hamburgo, graduada em fevereiro. As duas são da mesma leva de oficiais mulheres formadas pela Brigada Militar. A turma foi a primeira do tipo criada pela BM, em 1986. Na época, Bianca prestou o concurso e conquistou uma das 10 vagas abertas para mulheres. Ao concluir a academia, saiu como 2º tenente. Desde então, galgou o posto de 1º tenente, major e capitão até chegar a coronel. Quatro turmas se formaram depois dessa.

Em abril, a então tenente-coronel Bianca assumiu o Comando Regional de Policiamento Ostensivo Centro-Sul (CRPO-CS). A posição é altamente estratégica e exige experiência de quem a assume. O CRPO-CS fica em Guaíba e é o núcleo de 11 cidades das regiões Costa Doce e Carbonífera. Além da própria sede do comando, a cidade de Butiá demanda atenção por conta dos índices de criminalidade. Outro desafio é que o comando está em uma área onde há 9 mil presos, cerca de 22% da população carcerária de todo o Estado. É a área que inclui a Penitenciária de Alta Segurança de Charqueadas (Pasc), que abriga apenados de alta periculosidade.

A BM é responsável não só pela guarda externa dos presídios, mas também pelo policiamento ostensivo no entorno das casas prisionais. É da mesa da coronel que saem decisões importantes como o remanejo de efetivo, utilização de viaturas e armamento.

Em um meio onde a força física é requisito para atuar e que a maioria dos cargos mais altos na hierarquia ainda é ocupada por homens, Bianca se sente vitoriosa.

– Me exigiram muito. Quando precisei ser boa, tive que ser muito boa. Tenho as mesmas lições que os meus colegas, por isso, posso atingir o mesmo cargo. Não podemos desistir no primeiro obstáculo. Queremos que outras mulheres ocupem cada vez mais esses lugares – brada a comandante.

Mãe do médico Henrique, 23 anos, e da veterinária Bibiana, 21, Bianca ingressou na BM na turma de oficiais há 33 anos. Antes disso, trabalhava como assessora parlamentar na Câmara de Vereadores de Santa Maria.

A Brigada Militar tem 2,4 mil mulheres. Elas correspondem a 14% do efetivo total. O protagonismo feminino ainda é recente no Estado. A primeira a assumir o comando de um batalhão foi a tenente-coronel Nádia Gerhard, que assumiu o 40º Batalhão, em Estrela, em 2007.