Vereador sugere ao governo gaúcho que escolas públicas sejam administradas pela Brigada Militar

1365

“Coordenadores e diretores perderam o respeito que tinham antigamente”, diz Mendes Ribeiro (MDB), que propõe projeto piloto em um ou dois colégios

GAUCHAZH

Convencido de que a rígida disciplina elevaria o desempenho dos alunos, o vereador Pablo Mendes Ribeiro (MDB) tem reunião marcada nesta segunda-feira (25) com Iara Wortmann, secretária estadual adjunta da Educação: ele vai sugerir que a Brigada Militar assuma a administração de escolas públicas em Porto Alegre.

– Infelizmente, coordenadores e diretores perderam o respeito que tinham antigamente – avalia o vereador, que pretende propor, em um primeiro momento, um projeto piloto em apenas um ou dois colégios, situados de preferência em regiões com maiores índices de criminalidade na Capital.

Mendes Ribeiro se inspira na experiência de Goiás, onde colégios militarizados viraram referência no ensino público. O assunto é controverso porque não faltam especialistas apontando, por exemplo, que um regime de repressão causaria danos psicológicos às crianças.

Só que a questão mais premente é outra: como uma corporação com déficit de 15 mil homens, com apenas metade do efetivo previsto para patrulhar as ruas, poderia assumir mais essa bronca?