Montenegro: Realocação de servidores trará mais PMs para cidades da região

1469

Alunos-soldados receberam o incentivo para seguir adiante na carreira da instituíção centenária

Demanda. Subcomandante-geral da Brigada Militar esteve em Montenegro e prometeu esforço para aumentar o efetivo

Por Clarice Almeida Jornal Ibiá

O subcomandante-geral da Brigada Militar (BM), coronel Carlos Alberto Prado de Andrade, visitou a Escola de Formação e Especialização de Soldados (ESFEs) de Montenegro. Na ocasião ele falou sobre o motivo de sua vinda ao município, chamamento de PMs concursados e também do trabalho que vem sendo realizado para realocar servidores, o que aumentará o número de policiais em cidades da região. O encontro com os soldados em formação ocorreu na manhã dessa quinta-feira, 10.

O coronel Carlos Alberto Prado de Andrade é subcomandante-geral

Conforme o subcomandante, a vinda à Escola de Soldados tem como objetivo contextualizar aos alunos às rotinas internas da Brigada Militar. “Viemos trazer a palavra do comandante. Essa é uma visita que já estávamos devendo aos alunos”, relatou. O coronel participou de um momento com os alunos-soldados e passeou pelas instalações da escola.

Em relação ao chamamento dos policiais aprovados no último concurso público do Estado, o subcomandante destacou que essa é uma questão de governo. “Nós temos cadastrados 2.587 concursados, 2.100 que passaram e ainda 487 que alcançaram a média mínima de corte do concurso, mas essa decisão não compete apenas ao comando da instituição, dependemos do cofre e da decisão do nosso governador”, reiterou.

A resposta quanto ao chamado dos novos PMs pode não ser positiva. Mas por outro lado, o subcomandante afirma que há esforços para aumentar o efetivo nos batalhões da região. “Montenegro é cede de uma das principais escolas. Eu hipoteco o nosso compromisso. Neste momento a instituição se ocupa com a realocação. Vamos priorizar os servidores que estão na Capital ou em outras regiões e que têm raízes aqui em Montenegro, Triunfo e São Sebastião do Caí. Esse é o momento em que vamos procurar atender ao anseio deles virem a trabalhar “, assegurou.