RJ: Witzel promete 15 mil novos policiais militares até o fim do mandato

186
Governador Wilson Witzel participou de entrega de motos para a PM Foto: Guilherme Pinto / Agência O Globo

RIO — O governador Wilson Witzel participou, na manhã desta sexta-feira, da solenidade de entrega de 50 novos motocicletas para a Polícia Militar no pátio do 31º BPM (Recreio dos Bandeirantes). São motos Honda XRE 300 doadas pela empresa Multiplan que já entraram em ação. Dessas 50 motos,16 foram encaminhadas ao Programa Segurança Presente, 20 ficaram no 31º BPM, 10 seguiram para o 18º BPM (Jacarepaguá) e quatro para o Batalhão de Polícia de Choque. Além das motos, 10 viaturas também foram doados pela empresa para o batalhão do Recreio.

— Quero parabenizar a sociedade brasileira que está reconhecendo o trabalho dos nossos policiais. Entregando para nós instrumentos para trabalharmos mais efetivamente, mais rapidamente. Ambos, Polícia Militar e o Programa Segurança Presente, estão interagindo. Eles têm outras atividades com a PM. Isso vai ampliar muito a nossa capacidade de policiamento. Vamos triplicar o policiamento na Baixada Fluminense, sem esquecer da nossa Zona Oeste. Eu, mais uma vez, fico muito feliz de ver os resultados. As empresas estão voltando a acreditar no nosso estado e estão investindo, gerando empregos, gerando oportunidades. Esse é o desafio que temos pela frente. E acredito que muitas outras empresas vão querer investir no nosso Rio de Janeiro. Nós vamos devolver a tranquilidade para as nossas famílias e vamos melhorar o nosso trabalho de policiamento nas comunidades no programa Comunidade Cidade — discursou o governador.

O vice-presidente institucional da Multiplan, Vander Giordano, disse considerar importante doações como essa da iniciativa privada para a esfera pública a fim de garantir a melhora dos serviços prestados pela polícia para a sociedade.

Veículos foram doadas pela inciativa privada
Veículos foram doadas pela inciativa privada Foto: Guilherme Pinto / Agência O Globo

— A companhia presta colaborações constantes a diversas entidades das áreas de saúde, educação e segurança. Temos como papel institucional, além das nossas atividades comerciais, entregar mais a uma sociedade que sempre nos acolheu tão bem como sociedade fluminense. Essa é uma prova de confiança na política de governo e que vamos ter um Rio de Janeiro melhor. Somos parceiros também do Disque-Denúncia, uma instituição fundamental no suporte ao trabalho das Polícias Militar e Civil aqui do estado. A empresa também já fez outras doações, inclusive para a Guarda Municipal do Rio. Ações como essa tem como objetivo colaborar com o ambiente social e as suas necessidades. E tentar com que outras empresas e entidades da sociedade civil também sigam a iniciativa, assim como já acontece em vários países do mundo. Hoje é comum grandes corporações apoiarem suas comunidades. Podem perceber que os grandes patrocinadores de universidades americanas são entidades privadas. Assim, estamos doando essas motocicletas e doaremos também mais 10 veículos para o 31º BPM.

Mais 1,5 mil policiais nas ruas em 2019

Durante o evento, Witzel disse que seu governo pretende até 2022 formar novos 15 mil policias militares e mil policiais civis. Ele revelou que 1,5 mil PMs estão em formação no Centro de Formação e Aperfeiçoamento de Praças (Cefap), da Polícia Militar, e deverão entrar em ação no segundo semestre. E que outros 1,5 mil ingressarão no curso no ano que vem.

O governador fez críticas às Unidades de Polícia Pacificadora (UPPS) que, segundo ele, espalharam criminosos pelo estado.

— Com vários erros estratégicos na segurança pública, as UPPs ajudaram a, ao invés de prender a criminalidade, esparramá-la pelo estado. Isso foi muito ruim porque, ao se esparramar pelo estado ela foi ganhando força em área onde ela não tinha. Antigamente, grupos formados e agora nós estamos tendo um trabalho gigantesco. Fácil é colocar o leão fora da jaula, difícil é colocar para dentro. Em todo o estado do Rio estamos iniciando ações como essa de expansão do nosso policiamento com o Segurança Presente, com o material que está sendo doado por empresas. Elas estão acreditando no nosso trabalho. Agora, nós vamos intensificar a investigação da máfia das milícias. Hoje mesmo tem uma operação. Outras operações se seguirão. Nós não vamos parar, não temos bandido de estimação. Não importa quem esteja envolvido, serão todos investigados.

EXTRA