Morte de PMs: “Para cada um que tomba, nosso foco na missão fica mais nítido”, diz Comandante Nádia

500

Tenho a certeza de que em suas mentes e almas estava gravado o brado realizado no dia que prometeram proteger a sociedade gaúcha “mesmo com o risco de sua própria vida”

“Descansem em paz, guerreiros! Seguiremos aqui trabalhando por um país melhor e mais honrado”Marco Favero / Agencia RBS

Por Comandante Nádia, secretária municipal de Desenvolvimento Social e Esporte de Porto Alegre

GAUCHAZH

odrigo da Silva Seixas e Marcelo de Fraga Feijó estariam comemorando, com seus familiares e amigos, mais um ano de vida em julho, não fosse o confronto com criminosos que ceifou carreiras profícuas e cobertas de elogios.

Sem medo e sem qualquer dúvida do estrito cumprimento do dever legal, desembarcaram da viatura e iniciaram uma perseguição. Não olharam para trás, não titubearam, não duvidaram de suas capacidades, sequer pensaram em si mesmos, esqueceram ser de carne e osso e que poderiam sangrar. Contudo, eu tenho a certeza de que em suas mentes e almas estava gravado o brado realizado no dia que prometeram proteger a sociedade gaúcha “mesmo com o risco de sua própria vida”.

E por que morrer por quem não se conhece? Por que aceitar os desafios de uma carreira muitas vezes mal compreendida e mesmo assim indispensável?

A formação profissional, forjada na caserna, leva meses e meses de uma exigente e fatigante rotina, permeada das mais diversas disciplinas que bem capacitam um soldado da Brigada Militar: legislação penal, primeiros socorros, armamento e tiro, ordem unida, policiamento ostensivo, defesa pessoal, preenchimento das diversas documentações operacionais, técnicas de abordagem, leis específicas, direitos humanos, sociologia, dentre outras.

Além da parte técnica, na gênese de um Policial Militar devem estar inseridos os valores morais, a ética, os bons costumes, a conduta ilibada, a correção de postura, a humildade em servir, a camaradagem, a hierarquia e a disciplina. Tantas adversidades e superação de limites para que o vigor das ações dos policiais estejam sempre voltadas à paz, à vida, à justiça e à manutenção da ordem pública.

Para cada um que tomba nosso foco na missão fica mais nítido. Soldado Rodrigo e Soldado Feijó, obrigada por seus exemplos e pelo esforço máximo, entregando com edificante dignidade ao povo gaúcho o que de mais precioso o ser humano possui, sua vida. 

Descansem em paz, guerreiros! Seguiremos aqui trabalhando por um país melhor e mais honrado.