São Paulo: Pesquisa revela quadro de saúde dramático na Polícia Militar

269

O Capitão Tiago Carnevale, que serve a população há 16 anos na Polícia Militar do Estado de São Paulo, realizou uma pesquisa chamada “Fatores de risco e de proteção para doenças crônicas não transmissíveis na PMESP” junto ao Departamento de Nutrição da Universidade de São Paulo (USP).

A pesquisa realizada foi o tema da dissertação de mestrado dele no Programa de Nutrição em Saúde Pública, feita na metade do ano passado e apresentada no último 25 de junho, com dados colhidos de policiais e bombeiros de São Paulo.

Tiago que entrou recentemente para a Diretoria de Ensino e Cultura da Polícia Militar, conta que “é visível o número de policiais com excesso de peso na instituição e com problemas de saúde, é nítido“.

O trabalho foi uma dissertação de mestrado com dados colhidos de 3266 policiais e bombeiros. Os resultados nos fazem atentar para os problemas que os membros da instituição atravessam.

De um efetivo aproximado de 82.500 militares, contando policiais e bombeiros, entre soldados e oficiais, as estimativas encontradas são:

  • 60.000 policiais acima do peso;
  • 12.000 com problemas de hipertensão arterial;
  • 28.000 sofrendo com colesterol ou triglicérides elevado;
  • 6.000 com diabetes;
  • 29.000 com dor crônica da coluna;
  • 7.000 enfrentando depressão.

Carnevale recomenda o aumento da atividade física: “Até a prevalência de depressão é menor em pessoas fisicamente ativas“, afirma.

A principal causa de afastamento do serviço na população brasileira é dor crônica na coluna, foi alta a prevalecia estimada desse problema na PMESP, uma vez que o policial carrega de peso corpo, somando colete, arma, lanterna e demais equipamentos, de 10 a 12 quilos, já o bombeiro carrega 20 quilos aproximados.“, diz o mestre.

Ele também ressalta que um estudo realizado com a polícia militar do Espírito Santo, revelou que a expetativa de vida nas forças policiais é de 58 anos.

trabalho nutrição PM

O exercício é a solução

Para mudar esse quadro dramático, Capitão Tiago faz recomendações simples.

A prática de atividade física moderada acima de 150 minutos por semana foi vista como a principal ferramenta para a prevenção dessas doenças na instituição, por isso ela deve ser incentivada a toda tropa”, afirma.

Fonte: Terça Livre