“A abordagem que eles realizaram é normal”, diz comandante da BM sobre ação que terminou em morte de soldado

881

Segundo Mário Ikeda, criminosos “estão reagindo à abordagem e comumente armados”

Policial foi atingido na Praça Guia LopesRonaldo Bernardi / Agência RBS

GAÚCHAZH

O comandante da Brigada Militar (BM), Mário Ikeda, descartou a possibilidade de precipitação por parte dos policiais na ação que terminou na morte do soldado Gustavo de Azevedo Barbosa Júnior, 26 anos, na madrugada desta quarta-feira (10), na zona sul da Capital. Segundo Ikeda, a corporação realiza diariamente abordagens e essa atividade tem risco iminente.

— A abordagem que eles realizaram é normal. Está dentro dos padrões da BM. Independente se eles sabiam ou não que era roubado (o carro), está no padrão — afirmou o comandante, em entrevista ao Gaúcha Atualidade. —  O que a gente observa é que esses criminosos estão reagindo à abordagem e comumente armados — completou.

A ação ocorreu por volta das 3h15min, próximo à Avenida Teresópolis. A informação inicial é de que houve uma abordagem a criminosos que estavam em um veículo Fiesta, roubado na noite anterior no bairro Tristeza. 

 Barbosa Júnior estava no banco do passageiro da viatura quando foi atingido. Ele chegou a ser levado para o Hospital de Pronto Socorro (HPS), mas não resistiu ao ferimentos.

— Era um jovem bastante atuante. Realizava constantemente prisões, abordagens, tinha um espírito policial muito forte. E de maneira proativa, nessa madrugada, (os soldados) visualizaram o veículo e foram fazer a abordagem. Uma atividade rotineira da BM mas que nessa situação, infelizmente, tivemos mais um colega ferido e morto. 

Ouça a entrevista completa: