Homenagens em várias regiões do RS lembram policial civil morto em ação

151

Escrivão Edler Gomes dos Santos, de 54 anos, foi baleado ao cumprir mandado judicial em local que era alvo de operação contra crimes rurais e comércio ilegal de armas.

Por Jonas Campos, RBS TV

Homenagens foram prestadas nesta terça-feira (16), em várias regiões do Rio Grande do Sul, ao policial civil Edler Gomes dos Santos, de 54 anos, assassinado na manhã do mesmo dia em Montenegro, na Região Metropolitana de Porto Alegre. Ele foi baleado quando participava de uma operação contra crimes rurais e comércio ilegal de armas.

A ação ocorria em 37 municípios, onde seriam cumpridos 84 mandados de busca e apreensão. Porém, segundo a chefe da Polícia Civil, delegada Nadine Anflor, a ação prevista para durar o dia todo seria cancelada depois da morte de Edler.

“Isso realmente nos choca, nos abala”, lamenta Nadine. “Nós não desistiremos, vamos continuar combatendo a criminalidade com toda a garra, toda a energia, que entendemos que, neste momento, é o que tem de ser feito”, acrescenta Nadine.

Policiais civis prestam homenagem a Edler Gomes dos Santos, morto em operação — Foto: Reprodução/RBS TV

Policiais civis prestam homenagem a Edler Gomes dos Santos, morto em operação — Foto: Reprodução/RBS TV

Policiais de várias regiões do estado fizeram sirenaços – acionaram sirenes de várias viaturas enfileiradas – em homenagem a Edler. Em frente à sede do Departamento Estadual de Investigações do Narcotráfico (Denarc), bandeiras do Brasil e do Rio Grande do Sul foram hasteadas a meio mastro. Dentro do prédio, colegas do escrivão confortavam uns aos outros.

Sobre a mesa onde ele trabalhava, estavam o rádio de comunicação e as algemas da missão desta terça. Edler era reconhecido pelos colegas como um escrivão experiente. Antes de ingressar na Polícia Civil, foi militar do Exército, onde desenvolveu a habilidade em manusear armas.

“Toda vez que ocorre um fato dessa natureza, os policiais, todos, de uma forma geral, sentem muito. E nós ainda mais, porque trabalhávamos diretamente com o policial civil”, diz o diretor do Denarc, delegado Vladmir Urach, que descreve Edler como um escrivão “bem dedicado e bem quisto pelos colegas”.

Policiais militares prestam homenagem ao policial civil Edler Gomes dos Santos, morto em operação no RS — Foto: Reprodução/RBS TV

Policiais militares prestam homenagem ao policial civil Edler Gomes dos Santos, morto em operação no RS — Foto: Reprodução/RBS TV

O governador do estado, Eduardo Leite, suspendeu uma viagem que faria nesta terça para os Estados Unidos, e se manifestou pelo Twitter.

Eduardo Leite@EduardoLeite_

Tivemos uma manhã de terça-feira triste com a notícia da morte do policial civil Edler Gomes dos Santos, atingido durante operação contra crimes rurais, em Montenegro. Meus sentimentos e minha solidariedade aos familiares e à Polícia Civil.14212:41 PM – Jul 16, 2019Twitter Ads info and privacy22 people are talking about this

A Polícia Civil adiou as operações programadas para os próximos dias. O vice-governador e secretário de Segurança, Ranolfo Vieira Júnior, também lamentou o fato.

“Quando criminoso atinge um policial, ele está atingindo a todos nós, porque o policial é quem representa o estado lá na ponta, proporcionando segurança à sociedade”, declarou.

O velório do policial começaria no início da noite, no Cemitério Jardim da Paz, em Porto Alegre, reservado para a família. A partir das 7h30 desta quarta-feira (16), será aberto ao público.

O crime

Apreensão em Canoas durante a mesma operação — Foto: Bernardo Bortolotto/RBS TV

Apreensão em Canoas durante a mesma operação — Foto: Bernardo Bortolotto/RBS TV

Por volta das 7h30, dois agentes chegavam a um dos locais alvos da operação, uma casa mais afastada do Centro do município, perto da penitenciária modulada. Eles se identificaram e pediram para o homem armado se render. Ao abrir a porta, Edler foi atingido por um tiro no ombro.

O segundo disparo feito pelo suspeito, com espingarda calibre 12 de numeração raspada, atingiu o carro onde eles estavam. Estilhaços feriram o outro policial que tentava se proteger e ajudar o colega. Houve tiroteio e o bandido foi morto. Claudio Roberto Narde tinha antecedentes por crime ambiental.

“Eles estavam devidamente caracterizados como policiais civis. Eles falaram que eram policiais civis em diversas oportunidades”, ressalta o delegado Marcelo Pereira.

O policial Alexandre Machado, que estava junto com Edler, foi internado, e não corre risco de morrer.

A operação contou com 380 policiais, que cumpriam mandados em 37 cidades. Foram presas 11 pessoas, e apreendidas mais de mil munições, e dezenas de armas, como rifles, espingardas e até um morteiro, usado para lançar granadas.

Casos recentes

O agente foi o quarto policial assassinado em ação no estado em menos de um mês, e o quinto neste ano, além de ser o primeiro policial civil – as outras vítimas eram da Brigada Militar.

Na última quarta-feira (10), o policial militar Gustavo de Azevedo Barbosa Nunes Júnior foi baleado em uma abordagem na Zona Sul da capital, e não resistiu. Na madrugada de 27 de junho, outros dois PMS, Rodrigo da Silva Seixas e Marcelo de Fraga Feijó, morreram em confronto com traficantes na Zona Leste.

Nota da Polícia Civil

A Polícia Civil do Estado do Rio Grande do Sul manifesta seu mais profundo pesar pelo falecimento do escrivão de polícia Edler Gomes dos Santos.

Edler faleceu nesta manhã, 16 de julho de 2019, durante cumprimento do seu dever como policial e defensor da sociedade, enquanto cumpria ordem judicial durante operação policial em Montenegro. O policial civil foi alvejado com disparo de arma de fogo durante a ação.

Edler, 54 anos, se formou em 2010 e estava lotado na Delegacia de Lavagem de Dinheiro do Departamento Estadual de Investigações do Narcotráfico (Denarc).

A Polícia Civil se solidariza com a dor dos familiares, policiais e amigos, diante desta perda irreparável.