Bope forma 14° turma do Curso de Operações Especiais

985

Foram 74 aprovados no processo seletivo para participar do curso, mas apenas 10 receberam o brevê de “caveiras do gelo”

Novos “caveiras de gelo” do Bope da BM – Foto: Gregori Bertó/SSP

Após 1.500 horas-aulas entre atividades curriculares e extracurriculares,  10 brigadianos concluíram o 14° Curso de Operações Especiais (14º CEOE). Com o objetivo de preparar os policiais militares para a atividade mais intensa que a Brigada Militar (BM) proporciona, a formação segue padrões nacionais e internacionais nas atividades de operações especiais. A formatura ocorreu na sede do Batalhão de Operações Especiais (Bope), em Porto Alegre, nesta terça-feira (14/12), habilita policiais militares a integrar a tropa de elite do BM.Após 1.500 horas-aulas entre atividades curriculares e extracurriculares,  10 brigadianos concluíram o 14° Curso de Operações Especiais (14º CEOE). Com o objetivo de preparar os policiais militares para a atividade mais intensa que a Brigada Militar (BM) proporciona, a formação segue padrões nacionais e internacionais nas atividades de operações especiais. A formatura ocorreu na sede do Batalhão de Operações Especiais (Bope), em Porto Alegre, nesta terça-feira (14/12), habilita policiais militares a integrar a tropa de elite do BM.

A turma iniciou com 74 alunos, entre capitães, tenentes, sargentos e soldados, aprovados em processo seletivo interno.
A turma iniciou com 74 alunos, entre capitães, tenentes, sargentos e soldados, aprovados em processo seletivo interno. – Foto: Gregori Bertó/SSP

A turma iniciou com 74 alunos, entre capitães, tenentes, sargentos e soldados, aprovados em processo seletivo interno, mas apenas 10 receberam o brevê de “caveiras do gelo”. Os policiais militares estão aptos a atuar em situações que envolvam grave perturbação à ordem pública, ocorrências que necessitam de intervenções com elevado rigor tático e estratégico para solucionar situações de crise, operações antibomba, bem como nas ocorrências de ataques às instituições financeiras. 

O comandante do BOPE, tenente-coronel Schoenfeldt, ressaltou a importância da família para conquistar o brevê "caveira de gelo"
O comandante do BOPE, tenente-coronel Schoenfeldt, ressaltou a importância da família para conquistar o brevê “caveira de gelo” – Foto: Gregori Bertó/SSP

O subcomandante-geral da BM, coronel Cláudio dos Santos Feoli evidenciou o caráter diferenciado da atividade policial. “Enquanto toda a população corre do perigo, o policial se dispõe a correr em direção ao perigo, isso é perfil e não tem salário que pague essa vocação. A força da Brigada Militar é formada por diversos fatores, mas vocês, do BOPE, representam a força do Estado,  a força da sociedade, contra a criminalidade”, disse o coronel Feoli. 

A capacitação aconteceu na sede do BOPE, coordenada pela Academia de Polícia M!ilitar (APM), ministrada pelo BOPE e supervisionada pelo Departamento de Ensino da instituição (DE). O curso foi desenvolvido com base na legislação, regulamentação, normas e regimentos que estabelecem o ensino na Brigada Militar. 

Novos "caveiras de gelo" do Bope da BM
Novos “caveiras de gelo” do Bope da BM – Foto: Gregori Bertó/SSP

Nessa edição houve uma inovação no edital, com uma etapa de seleção denominada “Instrução Preparatória”, onde o candidato recebeu instruções de saúde física, mergulho autônomo, natação utilitária, uso da arma de fogo, adaptação em ambientes rurais, entre outras. Os militares que optaram pela instrução preparatória e obtiveram êxito nos testes, foram submetidos apenas ao exame de saúde. Quem optou por não participar da instrução, ou não concluiu esta etapa com êxito, precisou realizar, além dos exames de saúde, exames físicos, testes específicos e prática de tiro. 

O comandante do BOPE, tenente-coronel Rodrigo Schoenfeldt, ressaltou a importância do suporte  familiar para conquistar o brevê de um caveira de gelo. “Sabemos que não se vence uma etapa difícil como esta sem o apoio de uma retaguarda forte e resiliência. Metade deste brevê é graças ao apoio de vocês.  Aos formados, quero registrar minha profunda admiração por terem alcançado o direito de serem chamados de operadores especializados e serem reconhecidos como caveiras,  por terem ingressado em uma irmandade que ultrapassa as barreiras do convívio profissional”, enfatizou o tenente-coronel Schoenfeldt.

Texto: Kelly Motter/SSP 

Edição: Lurdinha Matos/SSP