Em cerimônia simultânea em seis cidades, Brigada Militar forma 865 novos soldados

265

Nos próximos dias, os PMs formados serão destinados a municípios com defasagem de efetivo

GZH

Sob chuva fraca na manhã desta quinta-feira (18), 865 novos soldados da Brigada Militar (BM) comemoraram a formatura após concluírem o curso da corporação. Na cerimônia, os novos servidores receberam homenagens de autoridades e familiares presentes. A solenidade também serviu para marcar os 184 anos da corporação, comemorados nesta quinta.

O ato ocorreu de forma simultânea em seis cidades, onde os alunos receberam o treinamento. Parte deles participou do ato no Departamento de Ensino da Brigada Militar, no bairro Glória, em Porto Alegre. Os demais soldados estiveram nas solenidades realizadas em Montenegro, Osório, Santa Maria, Rio Pardo e Santa Rosa.

De acordo com o comandante-geral da BM, coronel Vanius Cesar Santarosa, os alunos iniciaram o curso em março e desde então já atuam no Estado, sob supervisão. Nos próximos dias, eles serão destinados a municípios com defasagem de efetivo, explica.

— Estamos apresentando esses profissionais, homens e mulheres, que foram treinados e podem atuar com competência no Estado. Eles darão mais qualidade para a área da segurança e tranquilidade à sociedade gaúcha — pontua Santarosa.

Presente ao evento, o governador do Estado, Eduardo Leite, celebrou a formatura da turma e destacou os investimentos da gestão na área. O vice-governador e secretário da Segurança Pública, delegado Ranolfo Vieira Júnior, também esteve na solenidade.

— Quando homens e mulheres decidem prestar serviço público e passam a integrar a Brigada Militar, nós temos mais esperança de chegar a uma condição de convivência pacífica no Estado. Esperamos que esses novos soldados mantenham sempre acesa essa chama que os motivou a estar aqui hoje — afirmou Leite.

O curso de formação básico, que tem duração de oito meses, oferece aulas sobre direitos humanos, defesa pessoal, sociologia da violência e história da Brigada Militar, além de treinamento de tiro e estágio supervisionado.

Atualmente, o efetivo da BM tem pouco mais de 17 mil servidores, segundo a corporação. Santarosa afirma que mais 500 servidores estão em fase final de seleção e devem iniciar o curso de formação em dezembro. Um novo edital deve ser lançado no fim de novembro para recrutamento de mais 4 mil soldados. O primeiro chamamento, previsto para junho, deve selecionar cerca de mil pessoas.

Histórias de superação

Entre os alunos, histórias de superação se destacam. Um dos oradores da turma, o soldado Bethoven Ortiz, 29 anos, sofreu pelo menos dois baques durante os meses de curso: ele perdeu a avó, vítima de AVC, e o pai, que morreu em decorrência de um câncer generalizado.

— Infelizmente, no caminho, tive algumas perdas, foi muito difícil. Teve dias em que eu chorava muito. Minha vó era quem mais me apoiava para seguir no curso. Mas me mantive forte porque sempre quis ingressar na BM e também para mostrar essa conquista para  minha filha, minha maior motivação. É um sonho que estou realizando hoje — conta Ortiz.

André Ávila / Agencia RBS
Tainá e Ortiz foram oradores da turma de formandosAndré Ávila / Agencia RBS

Natural de Pelotas, Ortiz atuou no município do sul do Estado como músico na banda do Exército e desenvolve projetos sociais. Depois de formado, tem como plano atuar pela BM nas ruas e, posteriormente, integrar a banda da corporação.

— Eu quero ajudar ao próximo, servir e, se possível, participar da banda um dia, novamente. Tanto a BM quanto a música me deram um caminho, um destino, e quero retribuir tudo que a Brigada um dia fez por mim — conta Ortiz.

No espaço montado para os familiares dos alunos, Silvia Beatriz de Moura acompanhava atenta a filha, Tainá de Moura Maria, receber a homenagem de conclusão do curso. Orgulhosa, relata que a jovem, única filha mulher do total de quatro irmãos, largou faculdade e emprego para se dedicar aos estudos para o concurso da corporação.

— Me emociono porque era o sonho dela, e ela se esforçou muito para estar aqui hoje. Passa um filme na cabeça, lembro das dificuldades que aconteceram. Às vezes, os filhos seguem caminhos que os pais não tiveram oportunidade de trilhar, e agora me vejo realizada nela — resume Silvia.

André Ávila / Agencia RBS
Silvia e a filha, Tainá, formada nesta quinta-feiraAndré Ávila / Agencia RBS