Governo Federal adia o lançamento do programa que facilita o financiamento de imóveis para policiais

1018

O Governo Federal decidiu adiar o lançamento do programa que facilita o financiamento de imóveis para policiais, após o ministério da economia ter apontado alguns detalhes para uma melhor transparência do programa.

Um dos pontos é o fato da Caixa Econômica Federal ser o único banco habilitado para realizar o programa o que traria problemas de transparência e o mais correto seria validar outros bancos ou cooperativas para atuarem no programa. Conforme reportagem do UOL, outro detalhe que deve ser modificado antes do lançamento devido a exigência do Ministério da Economia é haver um teto de renda para o policial que quiser adquirir um imóvel.

O governo federal respondeu as manifestações mantendo-se na posição que o projeto está em elaboração e acenando que já tinha mencionado que não haveria impedimento para outros bancos participarem e que frente a isso a MP virá com essas modificações. Além disso, o governo federal anunciou que mesmo não havendo um teto de renda para o policial, o programa prevê que o policial não tenha nenhum imóvel no seu nome.

O programa prevê pagamento de subsídios diretos para agentes de segurança divididos em cinco faixas de renda, que variam de R$ 1 mil até acima de R$ 7 mil, com financiamento de até R$ 300 mil. Quem recebe acima de R$ 7 mil não terá direito a subsídios.

– Policial com renda mensal de R$ 1 mil a R$ 3 mil: subsídio de R$ 12 mil;
– Policial com renda mensal de R$ 3 mil a R$ 4 mil: subsídio de R$ 10 mil;
– Policial com renda mensal de R$ 4 mil a R$ 5 mil: subsídio de R$ 8 mil;
– Policial com renda mensal de R$ 5 mil a R$ 7 mil: subsídio de R$ 6 mil.

Além do financiamento com subsídios, os agentes de segurança deverão ter outras modalidades de crédito oferecidas pela Caixa com condições especiais, para ampliar o número de pessoas contempladas com o programa. Uma das opções é oferecer condições diferenciadas para compra de terrenos, casas e apartamentos disponíveis na Caixa.