Polícia Civil captura último envolvido na morte do soldado Cristian da Rosa Oliveira, do 26º BPM

872

Foragido foi localizado pelos agentes da 2ª DP de Gravataí no bairro Viamópolis, em Viamão

Correio do Povo

Houve a apreensão de maconha e cocaína com o criminoso | Foto: PC / Divulgação / CP

A Polícia Civil confirmou na manhã desta quarta-feira a captura do último envolvido no assassinato do soldado Cristian da Rosa Oliveira, 36 anos, do 26º BPM de Cachoeirinha. O latrocínio ocorreu há exatamente uma semana na rua Água Turquesa, no bairro Morada do Vale II, em Gravataí. A equipe da 2ª DP de Gravataí, sob comando do delegado Guilherme Calderipe, prendeu o foragido, de 19 anos, nesta terça-feira no bairro Viamópolis, em Viamão, durante cumprimento de um mandado de prisão preventiva.

O indivíduo apresentava um ferimento provocado por tiro de arma de fogo. “Tudo indica que ele tenha sido atingido em meio ao assalto, devido à reação da vítima”, avaliou o delegado Guilherme Calderipe. “Mesmo ferido, ele conseguiu fugir na companhia dos demais assaltantes e foi medicado de forma improvisada por familiares”, acrescentou.

O titular da 2ª DP de Gravataí assinalou que os policiais civis descobriram que o foragido recebeu apoio de traficantes de drogas para se esconder desde o dia do crime. “No local em que foi capturado, mais de 20 porções de maconha e cocaína foram apreendidas em poder do foragido e de outro indivíduo que o acolhia”, frisou. Houve autuação do foragido e do cúmplice por tráfico de drogas e associação ao tráfico.O comparsa, de 28 anos, foi autuado ainda por favorecimento pessoal.

O delegado Guilherme Calderipe destacou que as equipes de investigação não mediram esforços para elucidar o caso e para capturar todos os envolvidos. Ele ressaltou também a importância da colaboração da Brigada Militar e do Ministério Público do Rio Grande do Sul.

Outros três participantes do latrocínio já tinham sido presos antes. Dois dos criminosos são irmãos. Um deles, de 19 anos, atuou diretamente no assalto, e o outro, de 31 anos, auxiliou em esconder o carro e ocultar as armas usadas pelos assaltantes e a do brigadiano. O terceiro é um adolescente, de 17 anos, suspeito de ter sido o autor dos disparos.

Houve a apreensão de um revólver calibre 32 usado no roubo e a recuperação da pistola calibre 40 levada da vítima. O Volkswagen Gol, de cor branca, empregado no crime, foi recolhido. Imagens de uma câmera de monitoramento mostram o veículo em fuga logo após o latrocínio.

De folga, o policial militar foi morto a tiros na noite do dia 17 deste mês. Os três criminosos abordaram o soldado que estava em um Chevrolet Onix. Em seguida, os bandidos fugiram sem levar o veículo da vítima, mas ficaram com a pistola do brigadiano. O trio ainda incendiou outro carro como despiste.