Policiais pedem vacinas durante carreata em homenagem a agentes mortos por Covid-19

730

Segundo a categoria, seis agentes perderam a vida em decorrência da doença na semana passada

Sindicato alerta para possibilidade de colapso da segurança pública em meio à crise sanitária. Foto: Ricardo Giusti/Correio do Povo

Após o registro de seis mortes por Covid-19 na semana passada, os profissionais ligados ao ao Sindicato dos Agentes da Polícia Civil do Rio Grande do Sul (UGEIRM Sindicato) protestaram em diversas cidades nesta segunda-feira (22). Além de manifestar solidariedade às famílias das vítimas, a categoria pede que a Segurança Pública entre na lista prioritária da vacinação no Estado.

Em Porto Alegre, a mobilização começou por volta das 10h, no Monumento ao Laçador. Em carreata, os policiais passaram por pontos estratégicos da cidade – como o Palácio Piratini e o Palácio da Polícia – buscando chamar a atenção da população e dos governantes. Uma das principais preocupações do grupo é o aumento do número de agentes afastados em razão da doença.

“Assim como os profissionais da educação e saúde, nós também queremos ser prioridade desse cronograma. Aqui no Rio Grande do Sul, só entre os policiais civis, já tivemos mais de 800 infectados. Tivemos seis mortes em menos de uma semana. Para que a gente consiga dar segurança à população gaúcha, precisamos estar protegidos do coronavírus”, afirma o presidente da UGEIRM, Isaac Ortiz.

O ato foi encerrado em frente ao Hospital Ernesto Dorneles. A instituição recebeu a homenagem dos agentes, por meio de um aplauso coletivo aos profissionais que atuam na linha de frente do combate à pandemia. “Queremos chamar a atenção do Governo Federal, também. Essa lentidão no processo de aquisição e distribuição da vacina custa muitas vidas”, ressalta o vice-presidente do sindicato, Fabio Castro.

Protestos no interior

De acordo com a UGEIRM, as manifestações se repetem nas delegacias localizadas no interior do Rio Grande do Sul. Os policiais civis encaminharam, a diversas prefeituras, requerimentos para que a categoria seja considerada prioritária na fila da imunização. Até agora, o pedido foi atendido em Bagé, onde os agentes começaram a ser vacinados no final da última semana.

FONTE Aristoteles Junior/Rádio Guaíba