Servidores penitenciários protestam contra privatização em presídios no RS

707

Ato foi realizado no aeroporto Salgado Filho contra a comitiva que vai conhecer prisão privada em Minas Gerais

Servidores da Susepe protestaram contra privatização de presídio planejada para o Rio Grande do SulAmapergs Sindicato / Divulgação

GZH

Dezenas de servidores realizaram protesto no aeroporto Salgado Filho, às 4h desta quarta-feira (28), contra a privatização no sistema prisional do Rio Grande do Sul. O ato ocorreu no momento do embarque do secretário estadual de Administração Penitenciária (Seapen), Mauro Hauschild, e do superintendente da Superintendência de Serviços Penitenciários (Susepe), José Giovani Rodrigues.

Os dois encabeçam uma comitiva de autoridades gaúchas em viagem a Minas Gerais, para conhecer modelos de privatização do sistema penitenciário daquele Estado.

Inédita no Rio Grande do Sul, a implantação de uma parceria público-privada (PPP) no sistema prisional é almejada pelo governo Eduardo Leite. A ideia é que empresas particulares construam um presídio em Erechim, que abrigará até 1.125 apenados. Em troca, elas vão gerenciar o estabelecimento por até três décadas.

O protesto foi organizado pelo Sindicato dos Servidores Penitenciários (Amapergs Sindicato), que é contra a proposta por entender que o governo deve investir para evitar o sucateamento dos presídios já existentes, estatais.

Os servidores penitenciários planejavam outra manifestação na manhã desta quarta-feira: um “abraço” ao prédio sede da Secretaria da Segurança Pública (SSP) em Porto Alegre. O edifício foi destruído por um incêndio no último dia 14. O ato foi cancelado porque as autoridades emitiram ordem de serviço limitando a circulação de pessoas no entorno daquele prédio.