Simulação de salvamento chama a atenção em Imbé

425
Guarda-vidas entraram no alto mar a bordo de uma moto aquática para fazer o resgate da suposta vítima

Operação foi feita por bombeiros do Pelotão de Guarda-Vidas do
CBMRS e teve como objetivo esclarecer a população sobre a ação

Atividade conta ainda com um quadriciclo que auxilia no patrulhamento

Uma simulação de salvamento no mar realizada ontem pelo Corpo
de Bombeiros Militar do RS (CBMRS), em Imbé, chamou a atenção de banhistas e veranistas que curtiam o dia de sol e mar limpo no balneário. O
resgate da suposta vítima de afogamento foi feito por bombeiros do Pelotão de Guarda-Vidas do CBMRS, em Imbé Sul. Para a ação parecer o mais real possível e mostrar às pessoas o trabalho do Corpo de Bombeiros nas praias gaúchas, durante a Operação Verão, os guarda-vidas entraram no alto mar a bordo de uma moto aquática.
Paramentados com nadadeiras, flutuadores e boias, além de levarem um bote e um pranchão, os guarda-vidas alcançaram e resgataram a pessoa em situação de perigo no mar e a levaram em segurança até a beira da praia, para receber os primeiros socorros. De acordo com comandante do Pelotão em Imbé Sul, tenente Joel Cardoso, a ação faz parte do treinamento e trabalho de prevenção e orientação que o CBMRS realiza no Litoral. “Esses equipamentos facilitam o deslocamento da vítima até a beira-mar. Na areia, a equipe faz os primeiros atendimentos até o deslocamento ao hospital,
se necessário”, revelou o tenente, lembrando que o CBMRS utiliza também o quadriciclo para patrulhamento, ações de prevenção e apoio para resgate.
“Também temos bandeiras de delimitação da área de banho para proporcionar aos banhistas entrada no mar de forma segura”, lembrou.

Segundo ele, o Corpo de Bombeiros conta também com um desfibrilador e materiais de imobilização. “Nossa missão é atuar forte na prevenção e contar com a colaboração dos veranistas para evitar ocorrências e uma eventual tragédia”, ressaltou o tenente Joel Cardoso, lembrando que 55 guarda-vidas atuam em Imbé Sul, nas 14 guaritas do balneário.

“O trabalho dos guarda-vidas é de extrema importância para os veranistas. Muitas vidas são salvas com as orientações deles sobre os perigos do mar e também através do monitoramento que realizam no verão nas praias do Litoral”, afirmou a professora Maria Lourdes Prudente, de 40 anos, que
reside em Canoas e passa férias em Imbé, ao observar atentamente a simulação de resgate do CBMRS.

Verão do CBMRS, major Isandré Antunes, destacou que desde o início da operação, em dezembro do ano passado, foram registrados quatro óbitos por afogamento no Litoral Norte.
“Foram três em áreas sem balizamento para banho e um em área balizada. Também já estamos com 39 óbitos por afogamento em áreas sem cobertura de guarda-vidas”, revelou o major, lembrando que as três praias com maior índice de resgate de pessoas do mar são Capão da Canoa (65), Torres (42) e Imbé (31).

CORREIO DO POVO